Rio de Janeiro (RJ): Demissão em massa na LATAM do Galeão

por SINDICATO NACIONAL DOS AEROVIÁRIOS, 16/04/2018 às 11:24 em Artigos

Direção do SNA (Sindicato Nacional dos Aeroviários) recebe a denúncia de demissão em massa no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro (RJ). Segundo aeroviário que pede para não ser identificado, mais de 20 profissionais foram dispensados somente nesta manhã de 16 de abril.

Segundo ele, foram demitidos dois líderes, um supervisor, sete operadores de equipamento e mais de dez auxiliares de rampa. Representantes do SNA afirmam que o mesmo está acontecendo em outras bases. Segundo o dirigente Mauro Sergio, em Palmas (TO) foram dispensados nos últimos dias quatro profissionais da linha de frente, três de rampa, um supervisor e um agente de carga.

A direção do SNA chegou a cogitar que o principal motivo das demissões seria o processo de terceirização que toma conta dos aeroportos e ganhou mais força após a Reforma Trabalhista, que entrou em vigor em novembro de 2017. Porém, a explicação dada pela empresa foi outra.

 

De acordo com a direção da LATAM, o motivo das demissões é a diminuição da malha, em função da forte queda dos voos. Ainda segundo a empresa, qualquer tipo de explicação sobre as dispensas deve ser verificada com o Sindicato Simarj, que é a entidade que tem feito negociações com a LATAM. A direção do SNA continua à disposição dos profissionais que desejarem discutir o tema.

Medidas do Sindicato

A cláusula 41 da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho), que aborda a necessidade de redução da força de trabalho, deve ser aplicada em casos de demissão em massa. Em muitas situações, o Sindicato consegue reverter a demissão, quando as empresas não cumprem o estabelecido no acordo. O texto completo da Convenção está disponibilizado em nossa página. Profissionais devem procurar orientação, caso acreditem que sua demissão foi irregular.

Texto: Ag. Amora

Fotos: Divulgação

Tags:   latam   demissao-em-massa   aeroporto-internacional-antonio-carlos-jobim   galeao   demissao-em-massa   terceirizacao   reforma-trabalhista