Intensificação de inspeção implementada pela ANAC causa caos nos aeroportos

por SINDICATO NACIONAL DOS AEROVIÁRIOS, 18/07/2016 às 20:39 em Artigos

Filas de longa espera no canal de inspeção de Raio-X. Em alguns casos, confusão. Assim foi o primeiro dia após medida implementada pela ANAC (Agência Nacional em Aviação Civil) de intensificação na inspeção de bagagens e passageiros nos aeroportos, em 18 de julho. A falta de preocupação tanto da Agência, como das administradoras, em empregar mão de obra suficiente para atender essa nova demanda, deixou público usuário irritado com a demora e APACs (Agente de Proteção da Aviação Civil) sobrecarregados.

A partir de agora, todos os passageiros estão sujeitos a inspeção física aleatória, feita por agentes do mesmo sexo. Computadores e outros dispositivos eletrônicos devem ser retirados das malas e mochilas.  Público usuário também pode ser obrigado a abrir a bagagem para que seja realizada inspeção. As medidas valem tanto para voos domésticos, como internacionais.

A nova política de segurança poderia ser aceita de bom grado, se não fosse um “pequeno” detalhe. O contingente de funcionários contratados nos aeroportos não suporta a nova demanda e, o resultado, foi o surgimento de filas muito grandes no canal de inspeção e confusão em alguns aeroportos. Segundo informações de dirigentes do SNA (Sindicato Nacional dos Aeroviários) que trabalham no Raio-X, em alguns locais a desordem foi tamanha a ponto de haver briga.

“A inspeção não está sendo feita com a devida técnica e tranquilidade. A pressão pela agilidade no atendimento vem das administradoras dos aeroportos e dos passageiros, que ficam irritados com a longa espera. Hoje, no primeiro dia das novas políticas adotadas pela ANAC, houve tumulto aqui no Aeroporto de Brasília. Estamos todos sobrecarregados. Toda área operacional e de segurança está sendo prejudicada com o excesso de stress, o que é muito grave”, declara o APAC e também diretor do SNA, Carlos Geison.

Quantidade insuficiente de funcionários

Mesmo antes de a ANAC implementar a inspeção mais rigorosa, a quantidade de APACs que atuava nos grandes aeroportos já não era suficiente para atender passageiros, e tanto a Agência como administradoras já estavam cientes dessa informação. A desordem nos aeroportos em função das mudanças adotadas era o mínimo a se esperar.

Para amenizar a situação caótica, a orientação da ANAC é a de que passageiros cheguem com até duas horas de antecedência para realizar o check-in nos embarques domésticos. O prazo absurdo nada mais é do que o fruto de uma política trabalhistas irresponsável, que não se preocupa em contratar o número necessário de profissionais para atendimento.

SNA já havia informado sobre falta de APACs

A direção do SNA se reuniu com a Inframérica, responsável pela administração do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, e com a ANAC, no dia 1 de junho, para informar sobre a necessidade urgente de contratação de novos APACs em Brasília. Isso porque, após a implementação da RBAC 107, houve a diminuição do número de agentes contratados para atuar no canal de inspeção. Segundo a regulamentação, o atendimento deve ser realizado por no mínimo três e no máximo cinco profissionais. O problema é que, em aeroportos maiores, o emprego de apenas três agentes é insustentável.

Esse foi o caso do Juscelino Kubitschek. Segundo o dirigente sindical Carlos Geison, após a implementação do regulamento, o atendimento no Aeroporto de Brasília, que era feito por quatro APACs, passou a ser feito por apenas três. Esses profissionais ficaram sobrecarregados a ponto de sequer terem tempo de ir ao banheiro.

Após denúncia do SNA, a Inframérica recebeu prazo de 20 dias úteis para apresentar novo plano de segurança e inspeção. Mas nada mudou. A tragédia anunciada se concretizou com a intensificação da demanda de trabalho desses profissionais, após medidas implementadas pela ANAC. A direção do SNA continua na luta pela mudança da RBAC 107 e dos procedimentos de inspeção. Enquanto isso, trabalhadores e passageiros padecem com os péssimos procedimentos nos aeroportos, às vésperas de um evento de visibilidade mundial, como as Olimpíadas.   

Foto: Direção do SNA se reúne com ANAC e Inframérica, no ínicio de junho, para informar a necessidde urgente de contratação de novos APACs

Texto: Cláudia Fonseca | Ag. Amora

Fotos: Direção do SNA

 

Tags:   apacs   brasilia   infraero   inframerica   anac   juscelino-kubitschek