Campanha Salarial: SNA e demais Sindicatos da FENTAC/CUT assinam CCT do setor comercial

por SINDICATO NACIONAL DOS AEROVIÁRIOS, 13/12/2017 às 18:24 em Artigos

Dirigentes da FENTAC e dos sindicatos filiados dos aeroviários de Guarulhos, Recife, Porto Alegre e o Nacional de Aeroviários assinaram na tarde desta terça-feira (12) a renovação das Convenções Coletivas de Trabalho 2017/2018 com o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA). O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) assinará CCT com as empresas na sexta-feira (15) com o Tribunal Superior do Trabalho.

Durante a assinatura, os sindicalistas repudiaram a conduta da LATAM Airlines do Uruguai, que demitiu 34 aeroviários, no Aeroporto de Montevidéu, na segunda-feira (11).  Segundo informações da Associação de Funcionários das Companhias Aéreas Estrangeiras (AFCAE), as demissões pegaram os trabalhadores de surpresa e foram feitas sem consulta ao Sindicato. Os dirigentes exigiram uma resposta da companhia aérea até sexta-feira (15) sobre as razões dessas demissões arbitrárias.

Reajuste acima da inflação 

Os aeroviários conquistaram diante de uma conjuntura difícil, com leis e reformas (Terceirização e Reforma Trabalhista) que atacam e retiram direitos da classe trabalhadora, o reajuste de 2,45% (INPC de 1,95% da data-base 1º de dezembro e 0,5% de aumento real)  nos salários, pisos e demais benefícios econômicos. 

Outro avanço foi a manutenção de todos os direitos conquistados com muita luta nas Convenções Coletivas de Trabalho, assegurando nenhum prejuízo em suas conquistas sociais. "Fechamos nossa data-base no mês de dezembro e isso para nós é vitorioso. Esse resultado só foi possível com muita luta, organização,  mobilização nos locais de trabalho e nas redes sociais realizados pelos sindicatos filiados", destaca a Direção da FENTAC.

Empresas tentaram reduzir direitos

Negociar diante dessa conjuntura de ataques aos direitos foi extremamente difícil. Foram realizadas cinco rodadas de negociação com as empresas aéreas, e a última que resultou na proposta com ganho real e manutenção dos direitos foi construída após um intenso e longo debate entre a FENTAC e o SNEA. 

Nas quatro primeiras rodadas, as empresas apresentaram uma pauta prejudicial aos direitos dos aeroviários, com o interesse em alterar as normas de regulação de trabalho em temas como: jornada de trabalho, formas de contratação e rescisão/homologação de trabalho, negociação sindical e auxílios já conquistados pela categoria. Além de terem proposto apenas a reposição da inflação.

Defesa intransigente

A FENTAC e os sindicatos filiados fizeram a defesa intransigente dos direitos históricos e seguiram firme na luta pela valorização dos profissionais. Os aeroviários deram resposta nas  assembleias ao rejeitarem qualquer tipo de retrocesso.  "A nossa unidade e solidariedade foram fundamentais para evoluirmos nesta proposta de aumento real e vamos continuar trilhando nesse caminho", destaca Direção da Federação.

Ganho real da aviação foi superior a média nacional

Levantamento do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostra que  60% dos acordos  analisados no primeiro semestre de 2017 conquistaram aumento real. Fizeram parte do estudo os reajustes de 300 unidades de negociação de empresas privadas e estatais dos setores da Indústria, do Comércio e dos Serviços em todo o território nacional. 

Os resultados obtidos representam melhora em comparação aos anos de 2016 e 2015; maior concentração dos ganhos reais está na faixa de até 0,5% pontos percentuais acima da inflação, destacando aí a aviação! 
O ganho real conquistado pelos aeroviários e aeronautas foi superior à média nacional.


Texto e fotos: Asessoria FENTAC/CUT
Link original: Campanha Salarial: FENTAC e sindicatos assinam Convenção Coletiva de Trabalho com as Empresas

Tags:   campanha-salarial-2017-2018