Campanha Salarial 2017/2018: Empresas oferecem apenas o índice da inflação como reajuste

por SINDICATO NACIONAL DOS AEROVIÁRIOS, 26/10 às 12:40 em Artigos

SNEA (Sindicato Nacional das Empresas Aéreas) oferece apenas a reposição da inflação como reajuste salarial, calculada em aproximadamente 2,16% pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na segunda rodada de negociação da Campanha Salarial 2017/2018. O encontro, que contou com lideranças sindicais dos aeroviários e aeronautas da FENTAC/CUT (Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil/Central Única dos Trabalhadores) e FNTTAA (Federação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Aéreo), foi realizado no dia 24 de outubro, em São Paulo.

A proposta acendeu debate à mesa. Segundo dados apresentados pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos SócioEconômicos), entidade responsável pela assessoria econômica dos sindicatos dos trabalhadores, o setor aéreo vive um momento de melhoras significativas, o que possibilitaria reajuste acima do valor da inflação.

Luiz Pará, presidente do SNA (Sindicato Nacional dos Aeroviários), acredita ser necessária uma grande melhora no índice apresentado pelas empresas aéreas, para que as negociações possam ter continuidade. “Neste primeiro semestre, 60% das categorias tiveram reajuste salarial acima da inflação. Isso comprova a melhora na economia do país. Vamos manter a nossa reivindicação de ganho real, com 5% de aumento nos salários”, afirma o presidente.

A categoria aeroviária reivindica reajuste de 5% também nos pisos e cesta básica; 6% no vale refeição; pagamento do auxílio maquiagem quando esta for uma exigência da empresa; extensão do direito à creche ao pai aeroviário, já que apenas mulheres têm este direito; implementação de campanhas contra assédio moral; disponibilização de auxílio acidente e garantia de emprego ou salário à aeroviária que sofrer aborto. A próxima rodada de negociação está agendada para 31 de outubro.

Texto: Cláudia Fonseca | Ag. Amora

Fotos: Assessoria FENTAC/CUT

Tags:   campanha-salarial-2017-2018